Os tipos de passageiros que me levam à loucura nas viagens de autocarro

viagemautocarroDepois de ouvir a Mixórdia de Temáticas do grande Ricardo Araújo Pereira, acerca de um estudo sobre os balneários e depois também de muitas viagens de autocarro cheguei à conclusão que essas minhas viagens também tinham direito a um estudo (e que preciso de abrir uma empresa de aluguer de autocarros para viajar sozinho!).

Já todos percebemos que em cada viagem existe sempre um tipo de passageiros, que à sua boa maneira, conseguem sempre tirar do sério todos aqueles que querem apenas ter uma viagem descansada até ao seu destino.

O passageiro “pesadelo” destas viagens de autocarro é aquele que embirra sempre com o lugar que lhe calhou. Este tipo de passageiro está sempre presente, facto que me ultrapassa, porque eu simplesmente não percebo a razão pela qual as pessoas reclamam com o seu lugar. Não vamos todos com o mesmo destino? Que diferença faz ir à frente, atrás ou ao meio do autocarro? Não consigo perceber.

Outro género de passageiro é aquele que recebe um telefonema importante e como não quer incomodar as outras pessoas, tenta falar o mais baixo possível. Mas, o que acontece sempre é que, a pessoa que está do outro lado é sempre um pouco surda, o que obriga sempre o nosso companheiro de viagem a gritar. Consequência: irrita os restantes passageiros que lançam um olhar enraivecido ao individuo do telefone.

Também existe aquele tipo que vem sempre com seu filho mais novo, e que por azar dos azares, está sempre naquela idade irritante compreendida entre os 2 e os 5 anos. E eu pergunto: Qual é o resultado de fechar uma criança durante umas horas dentro de um autocarro? Desatam a chorar e a berrar. Quem sofre? Todos os outros passageiros e quem sabe até alguns condutores de carros mais próximos!

E porque não falar dos passageiros que vão sempre com algum amigo ou alguém conhecido ao lado e que passam a viagem toda a conversar. Pergunto eu: como é se consegue ter tema de conversa durante uma viagem de duas horas? Fácil: Normalmente são mulheres! Mesmo quando alguém as manda calar, optam por falar aos cochichos. O que irrita mais!

Para concluir, existe o tipo (que normalmente sou eu) que vai toda a viagem à procura da melhor posição para conseguir dormir, mas que não consegue porque leva sempre ao seu lado com os passageiros que gostam de ir a viagem toda ou ao telefone aos berros, ou com miúdos a chorar ou a cochichar! Vou passar a alugar autocarro inteiro!

Pronto, agora que já desbafei, já posso voltar a escrever posts interessantes outra vez! :)

Dicas para racionalizar o medo do dentista

Toda a gente sabe que visitas regulares ao dentista são obrigatórias e essenciais para garantir a saúde oral e para diagnosticar possíveis problemas e a sua consequente resolução. Mas no entanto, mesmo com tantas clinicas dentarias em lisboa, muitos pacientes (como eu) adiam a marcação da consulta, por medo do possível diagnóstico e do tratamento necessário para o resolver.

Embora muita gente esteja convencida de que sofre de odontofobia, esta condição afeta apenas 15% da população mundial. Esta condição caracteriza-se por uma reação excessiva e desproporcional ao “perigo” que vão enfrentar e, regra geral, o paciente exibe sinais bastante específicos, tais como: falta de ar, taquicardia, calafrios e desmaios.

Todos os restantes 85% (nos quais me incluo) têm apenas medo de ir ao dentista. Mas não há que desanimar, porque este problema pode muito facilmente ser contornado.

Deixo aqui 5 dicas para todos aqueles que como eu, não adoram visitar a cliníca dentária e sentem aquele arrepio na espinha quando ouvem aquela broca.

SAÚDE ACIMA DE TUDO
É preciso convencermo-nos de que a consulta no dentista, e todos os tratamentos que poderão ou não ser necessários, são para um bem maior, que é a nossa saúde oral. Normalmente, adiar constantemente a visita ao dentista apenas adia o “sofrimento”, já que aumenta a probabilidade de os problemas evoluam e tornem a consulta pior do que se tratássemos logo do assunto.

FAZER PERGUNTAS
É importante tirar todas as dúvidas e receios relacionados com o problema que temos e os medos que enfrentamos relacionados com os procedimentos e tratamentos necessários. O dentista está lá para isso. Para explicar pormenorizadamente tanto o problema como os procedimentos que vão ser realizados para a sua resolução.

SABIA QUE PODE PEDIR CALMANTES OU SEDATIVOS?
Se está nervoso mesmo depois de ficar a saber o problema e o tratamento necessário, não à quer ter vergonha e pedir ao dentista para administrar um sedativo. Eu já o fiz, e foi o suficiente para me deixar mais calmo durante o tratamento.

CRIAR DISTRAÇÕES AUDITIVAS
No caso de o medo estar relacionado com o barulho “irritante” e (para mim) assustador feito pela broca usada pelo médico dentista, há um truque muito simples: levar uns headphones e “curtir” umas músicas enquanto a consulta não acaba.

TER CONFIANÇA
O médico dentista é especialista no estudo e de todo o sistema estomatognático, que compreende ossos, musculatura mastigatória, articulações, e tecidos da face, pescoço, e cavidade oral.

Todos os dentistas que vemos listados em qualquer portal de clínicas dentárias como o da ordem dos dentistas, para se formar em Odontologia estudaram à volta de 5 anos e isto sem contar com as especializações. A formação inclui disciplinas elementares da área da saúde geral. Por isso, não há razão para temer. Estamos nas mãos de profissionais treinados, formados e capacitado na área da saúde.

Bem vindo à tua nova casa, agora já a podes arrumar!

Comecei a morar sozinho há pouco tempo. Já tinha idealizado e programado a mudança (que acaba por ser também uma mudança de vida) e sabia perfeitamente qual ia ser o meu calcanhar de aquiles… a lida da casa! E desde cedo, na minha cabeça estava claro: “recuso-me, não vou andar a ver empresas de limpeza no porto para contratar!”. E a verdade é que uns meses depois e contra todas as expectativas, não é que aqui o artista se tornou uma verdadeira fada do lar?! Parabéns para mim! :)
E já que me tornei um expert na lida da casa, nada como partilhar alguns truques do ofício!
O objetivo é que estas ideias vos ajudem na organização da casa. Com o passar do tempo, as coisas vão ficando mais fáceis e naturais, não se assustem! :)

Desapegar das coisas

Não guardar nada que não precisemos ou não usemos. Tudo o que acumulamos resulta em desarrumação. Essa desarrumação precisa de para. Por isso, para começar, à que começar bem, ou seja, nada de acumular tralha!

Compras de supermercado

No início é de facto difícil acertar com a quantidade de coisas que devemos comprar no supermercado. A ideia é: usar sempre uma lista, não ir ao supermercado esganado e em caso de dúvida, comprar menos para no fim, não termos de deitar comida fora. Aos poucos vamos ganhando noção do que gastamos e do que precisamos.

Ferramentas

Ter algumas ferramentas dá sempre jeito para desenrascar pequenas reparações como trocar uma lâmpada, aparafusar a gaveta de uma armário ou até mesmo pendurar um candeeiro acabadinho de comprar. São coisas pequenas, mas que normalmente todos nós acabadinhos de vir da casa da mamã, nunca mexemos uma palha para as fazer! Por isso, mãos a obra.

Contabilidade organizad

Não, não é preciso ter um contabilista! Mas é importante manter as contas organizadas e em dia. E é igualmente importante ter um controlo de todo o processo, para não correr o risco de ficar, por exemplo, sem eletricidade apenas porque deixamos passar a data de pagamento.

Lavar a roupa

Pois é meus amigos, a roupa não se lava sozinha. Aprendi isso da pior forma possível. Comecei a ver roupa a amontoar e não fiz nada. Até ao dia em que ao tentar vestir-me para ir trabalhar, percebi que não tinha roupa lavada… Lá fui de t-shirt para o escritório…
Conclusão: Deixar acumular uma quantidade razoável para encher a máquina, é uma boa estratégia, mas cuidado meus amigos, para não misturarem cores escuras com claras! Caso contrário, sabem aquela camisa linda branquinha? É agora uma cor salmão, bem duvidosa! :)

Microsoft acaba com o suporte ao Internet Explorer 8, 9 e 10

Internet Explorer é há muito tempo origem de dores de cabeça para qualquer web developer e ao mesmo tempo, alvo de chacota entre e internautas. O browser que ganhou às suas próprias custas a fama de lento e pouco simpático para com os programadores, chegou finalmente ao fim da linha, nas versões 8, 9 e 10.

O suporte a estas versões do browser da Microsoft chegou ao fim neste mês de janeiro de 2016. A Microsoft publicou uma página a dar conta de que uma atualização chamada “end of life” do IE chegaria aos utilizadores no dia 12. A atualização KB3123303 adicionou uma notificação aos utilizadores do Windows 7 e Server 2008 R2, chamando a atenção para a necessidade de fazerem o update para um browser mais moderno.

IE-Usage

O fim do suporte ao IE 8, 9 e 10 do, significa basicamente que a Microsoft não irá continuar a dar suporte a estas versões, seja em updates de segurança ou patches de correção de bugs. Para aqueles (poucos) que pretendem continuar a utilizar o Internet Explorer, deverão proceder à atualização para a versão 11, tal como a Microsoft recomenda.

O fim do suporte significa igualmente que o Internet Explorer 11 será a última versão deste browser, que no Windows 10, foi trocado pelo Microsoft Edge.